TITANIC EM FOCO: Dentro do Titanic, uma visão geral Chamadas de ganso

TITANIC EM FOCO

INÍCIO

  • Curiosidades
  • Dentro do Titanic
  • Destroços
  • Escadaria
  • LUSTRE
  • Naufrágio
  • O iceberg
  • Os Filmes
  • RELÓGIO
  • Resgate

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Dentro do Titanic, uma visão geral

Tweet ,
1. Salão de Jantar da 1ª classe (convés D) .. 2. Salão de Jantar da 3ª classe (convés F) .. 3. Lounge da 1ª classe (salão de estar, convés A) ... 4. Sala de Leitura da 1ª classe (convés A) .. 5. Convés de Passeio Particular das suítes B 51 B 53 e B 55 ... 6. Sala de Ginástica (convés de botes) .. 7. Cúpula de ferro, bronze e vidro da Grande Escadaria dianteira ... 8. Banho Turco (sauna, convés F) .. 9. Grande Escadaria dianteira ( convés de botes, 1ª classe) ... 10. Recepção e Sala de Música da 1ª classe (convés D) ... 11. Convés de Passeio (convés A) ... 12 . Piscina da 1ª classe (convés F).
.
.   Seja bem vindo ao Titanic em Foco .
Os mais de 100 anos de fama e memórias relacionadas ao Titanic trazem consigo um gigantesco misto de arte, sonho, história, drama e tragédia. Ao citar a palavra Titanic , a primeira imagem que vêm a mente da grande maioria de todos nós é a do grandioso navio e o triste fim encontrado por 2/3 das pessoas que nele embarcaram em 10 de abril de 1912.
.  As fontes documentais que registram os aspectos do Titanic são inúmeras, e estão espalhadas nos livros, documentários, filmes e na Internet; a parte trágica da história se estende em tantas direções quanto um punhado de poeira dispersa no vento. E apesar da imensa divulgação direcionada ao Titanic, não há uma grande quantidade de fontes fixas que registram especialmente os seus aspectos interiores, de modo que estas informações são fragmentadas na maioria dos casos.
.  Em uma tentativa de registrar os aspectos interiores do Titanic de modo sucinto e concentrado, o TITANIC EM FOCO traz a matéria a seguir, que faz um registro muito compacto - ainda que inevitavelmente muito longo - de como eram as acomodações interiores do transatlântico mais famoso da história marítima mundial.
.  Faça um tour muito informativo para dentro do Titanic...
Boa leitura IMPORTANTE - A maior parte das fotografias usadas nesta matéria é proveniente do RMS Olympic, o navio-irmão do Titanic. A histórica e frequente identificação incorreta das fotografias exteriores e interiores dos dois navios (Olympic e Titanic) não é algo que só acontece nos dias recentes, visto que até mesmo nos registros de época (jornais, livros e cartões postais) existem inúmeros casos de fotografias identificadas como pertencentes ao Titanic, que na realidade são provenientes do Olympic. Esta má identificação acontece ainda hoje até mesmo em algumas das melhores publicações e fontes online, o que contribui para acentuar ainda mais as muitas lendas e "meias verdades" criadas sobre o Titanic ao longo dos anos.

"A relativa raridade de fotos dos interiores do Titanic é causada tão simplesmente pelo atraso na finalização do navio que, quando já atracado em Southampton, Inglaterra, e faltando poucos dias para a viagem, ainda passava pelo processo de arremates na decoração e nos equipamentos. O atraso nas obras, a finalização de última hora, a falta de tempo para uma abertura ampla aos fotógrafos da imprensa e a curtíssima vida útil do Titanic, são os fatores diretamente responsáveis pela pequena quantidade de registro fotográfico de seus aspectos interiores".
Há dezenas de casos, inclusive, de fotografias do Olympic que foram manualmente (ou digitalmente) alteradas para representar o Titanic. Estas pequenas "fraudes" têm motivo evidente: A vida útil extremamente curta do Titanic impediu que ele fosse largamente fotografado, enquanto que seu navio-irmão, o Olympic, recebeu maior atenção da mídia e teve longa carreira de 24 anos de navegação, na qual fora ostensivamente fotografado em milhares de ocasiões.
.  Ao lado: Mais uma das dezenas de fotos do Olympic manualmente alteradas para representar o Titanic. Esta fotografia fora publicada em jornais nos dias posteriores à tragédia do Titanic em 1912. A identificação correta da imagem pode ser feita pela simples análise da configuração das janelas do convés superior, que no Olympic era apresentado como uma longa varanda aberta para o mar, enquanto que no Titanic este convés tivera metade de sua extensão fechada com janelas de vidro. Neste caso especificamente, não foi preciso grande esforço para "maquiar" o Olympic: a palavra "Titanic" foi simplesmente reescrita diretamente sobre a foto, substituindo a nomeação original "Olympic" gravada na lateral de estibordo do navio. O mesmo efeito destas intermináveis "trocas de identidade fotográfica" é igualmente válido para as fotos dos interiores do Titanic que, em sua maioria, em verdade são fotos dos interiores do Olympic.

No entanto é seguro dizer que grande parte das fotografias do Olympic servem como perfeita ilustração de como foram os interiores do Titanic, considerando que ambos os navios possuíam interiores extremamente similares. Em casos de fotos reais do Titanic nesta matéria, haverá uma clara indicação na legenda.
. Registrado o alerta, siga a matéria onde todo o esforço foi feito para a correta identificação histórica destas imagens únicas.

Uma visão geral do Titanic  .
Acompanhe na animação abaixo uma visão geral das acomodações interiores, aspectos técnicos e medidas do Titanic. A animação possui 101 quadros e termina após 7 minutos. Se deseja parar a animação, clique a tecla ESC em seu teclado. Para reiniciar a animação, atualize a página.

(Arte gráfica original de  "alotef", deviantart.com / animação por Rodrigo, Titanic em Foco) Abaixo: Uma ilustração publicitária de época sobre os dois navios irmãos, Olympic e Titanic, divulgada pela Companhia White Star Line, proprietária de ambos. A ilustração foi totalmente reeditada pelo Titanic em Foco para uma visualização básica das acomodações interiores do transatlântico.
Você sabia?

Você sabia que na decoração dos interiores do Olympic e do Titanic foram utilizados mais de 20 estilos arquitetônicos diferentes? 

Ao lado - (Arte original de Cyril Codus)
. Apesar da imensa mistura de estilos e elementos, os decoradores dos dois navios-irmãos conseguiram alcançar um balanço entre o “grandioso e o bom gosto”, o que fez com que ambos os navios estivessem a frente de seus dois concorrentes diretos, o RMS Mauretania e o RMS Lusitania, ambos propriedade da companhia Cunard Line. 
A imensa coletânea de estilos adotada no Titanic percorria centenas de anos em evolução arquitetônica, que se viam representados na decoração das cabines e salas sociais da 1ª e da 2ª classes. Seguem nomeados 20 dos estilos aplicados: Renascença Italiana, Luís XIV, Luís XV, Luís XVI, Adam, Tudor, Georgiano, Rainha Anne, Jacobino, Holandês Antigo, Holandês Moderno, William e Mary, Regência, Dórico, Jônico, Coríntio, Marroquino, Mouro, Sheraton e Grinling Gibbons. 

Grande parte da decoração interior dos navios irmãos foi projetada e instalada pelas mesmas equipes de artistas e e artesãos, visto que o Olympic e o Titanic foram construídos quase ao mesmo tempo. Os interiores foram projetados pela empresa Aldam, Heaton & Co., que já havia trabalhado em outros navios da White Star Line e também havia criado o design dos interiores das casas do presidente da White Star Line J. Bruce Ismay e sua família. Grande parte do interior em ambos os navios foi projetado pelo arquiteto Arthur Henry Durand, que tinha estudado a arquitetura em Bruxelas no fim da década de 1890, e estava envolvido também com o projeto da Torre Eiffel em Paris. Durand trabalhou tanto para a White Star Line como para a Peninsular & Oriental Steam Navigation Company. Os interiores do Titanic   .
As instalações para os passageiros da 1ª classe a bordo do Titanic tinham como objetivo atender os mais altos padrões de luxo da época. De acordo com os planos de arranjamento geral do Titanic, o navio podia acomodar 833 passageiros na 1ª classe, 614 na segunda classe e 1006 na terceira classe, totalizando uma capacidade combinada de 2.453 passageiros. Além disso, sua capacidade de hospedar membros da tripulação ultrapassava 900. A maioria dos documentos que registram a configuração original do Titanic afirmam que a capacidade total de transporte para os passageiros e tripulantes era de aproximadamente 3.547 pessoas ao total (número máximo permitido de pessoas a bordo).
Ao lado: Lawrence Beesley, passageiro da 2ª classe aproveita a oportunidade para pedalar em uma bicicleta estacionaria do Ginásio da 1ª classe do Titanic em 10 de abril de 1912. Nem na mais longínqua imaginação ele saberia da tragédia da qual ele sobreviveria 5 dias depois desta foto, tampouco que sua estadia no Titanic seria registrada em um livro de sua própria autoria, no qual contaria a sua experiência a bordo.

Na extrema direita da parede ao fundo havia uma porta que acessava diretamente a Grande Escadaria dianteira, possibilitando aos passageiros sair do Ginásio sem a necessidade de se expôr ao tempo no Convés de Botes. O Ginásio era um dos ambientes mais iluminados do navio, visto que as grandes janelas arcadas de vidro texturizado permitiam a entrada de muita luz natural.

Na fotografia pode-se notar a composição do piso, que era de linóleo com peças brancas, intercaladas com pequenos losangos pretos. À frente das duas bicicletas estacionarias um grande marcador que permitia aos passageiros a disputa de uma corrida de velocidade. À ré das duas bicicletas havia um saco de pancadas que pendia do teto, disposto ali para o treino de BOXE.

O design dos interiores do Titanic partia do mesmo princípio do encontrado nos interiores de outros navios de passageiros da época, que eram tipicamente decorados em estilos bastante pesados, como os de mansões ou casas de campo inglesas. No entanto o Titanic foi projetado com um estilo geral muito mais leve e moderado, semelhante ao das casas contemporâneas de alta classe e hotéis de luxo; o Hotel Ritz foi um dos muitos ponto de referência como inspiração para os decoradores.
.  Uma grande variedade de outros estilos de decoração, que iam desde o Renascimento ao estilo Vitoriano, foram usados para decorar cabines e salas públicas na áreas da primeira e segunda classes do navio. O objetivo era transmitir a impressão de que os passageiros estavam em um hotel flutuante ao invés de estarem em um navio. Exemplificando este sentimento, a seguinte frase foi utilizada como publicidade feita pela Companhia White Star Line (proprietária do Titanic) sobre um passageiro que entrasse no navio: "Nós deixamos o convés e passamos através das portas que nos levam ao interior do barco e, como por mágica, perdemos o sentimento de que estamos a bordo de um navio, a sensação é de que estamos entrando no saguão de uma grande casa em terra." 

Ao lado: Janelas arcadas do Ginásio de exercícios da 1ª classe do RMS Olympic, com padrão rigorosamente idêntico às instaladas no Titanic . A porta aberta que se vê ao fundo era a de acesso ao Ginásio; o pequeno nicho-varanda situado na sequência protegia a porta de entrada para o mais alto patamar da famosa Grande Escadaria da 1ª classe. Sobre toda a composição destaca-se a enorme chaminé dianteira, com 19 metros de altura visível acima do teto dos alojamentos dos oficiais.

Os passageiros da terceira classe não eram tratados com todo o luxo como os de primeira classe, mas mesmo assim eles estavam em melhores acomodações do que os seus companheiros em muitos outros navios da época. As acomodações de terceira classe a bordo do Titanic eram fortemente representativas da grande mudança de padrões que a White Star Line havia tomado no que se refere as melhorias das acomodações direcionadas aos passageiros imigrantes da classe mais baixa.
.  Na maioria dos navios de passageiros que percorriam a movimentada rota de transporte do Atlântico Norte, as acomodações de terceira classe consistiam em grandes dormitórios abertos, nos quais dezenas de pessoas eram alojadas, muitas vezes sem uma alimentação adequada, confinados no interior de compartimentos localizados na extremidade dianteira dos navios. A White Star Line há muito tempo vinha enfrentando o desafio de quebrar essa regra. Como visto, a bordo do Titanic, e todos os navios da White Star, os passageiros da terceira classe se dividiam em duas secções, sempre localizadas nas extremidades opostas do navio. O acordo estabelecido foi que homens solteiros seriam hospedados nas áreas dianteiras, enquanto as mulheres solteiras, casais e famílias seriam alojados à ré da embarcação. Além disso, enquanto outros navios da época forneciam apenas dormitórios coletivos, os navios de linha White Star Line ofereciam aos passageiros de terceira classe cabines privadas, pequenas mas confortáveis, capazes de acomodar dois, quatro, seis, oito e 10 passageiros em cada uma delas.
.  Abaixo: Uma cabine de 2ª classe a bordo do navio SS Laurentic, também de propriedade da Companhia White Star Line. No Titanic as cabines da 3ª classe seguiam exatamente o mesmo tamanho, mobiliário e padrão. Ao invés de grandes salões dormitórios onde "amontoavam-se" emigrantes humildes, no Titanic havia a vantagem de poder dividir uma cabine com familiares ou amigos conhecidos. A popa era uma área reservada exclusivamente às famílias e mulheres solteiras, os homens sozinhos e/ou solteiros eram obrigatoriamente hospedados no extremo oposto do navio, na proa.
Como na maioria dos navios da época do Titanic, as instalações de primeira classe eram localizadas na parte central do navio, onde as vibrações e o balançar do navio eram minimamente sentidas. O navio tinha seus andares designados por letras (Convés A, Convés B, Convés C,...), com exceção do andar superior, chamado Convés de Botes. A primeira classe abrangia desde o andar superior (Convés de Botes) até o Convés E, enquanto que a maioria dos outros conveses possuíam acomodações da 2ª e 3ª classe, porém devidamente isoladas uma da outra. Neste panorama o convés A era uma exceção, uma vez que continha apenas instalações de primeira classe. Nos outros conveses a primeira classe ficava ao centro do navio, a segunda classe ficava nas bordas e a terceira classe se localizava na popa e na proa, onde o barulho e as vibrações eram mais evidentes.

As classes eram altamente isoladas, e era teoricamente proibido passar de uma classe para a outra. Haviam placas nos acessos que indicavam aos passageiros que eles eram proibidos de freqüentar determinada área. Na prática, era completamente impossível, por razões de saúde, um passageiro de terceira classe entrar em contato com as outras classes, porém as barreiras entre a primeira e segunda classe eram mais flexíveis.

Ao lado - Cenário do filme "Titanic" (1997) : "AVISO PASSAGEIROS DA 3ª CLASSE NÃO SÃO PERMITIDOS ALÉM DESTE PONTO ."
É sabido que um passageiro da primeira classe poderia visitar um amigo que estivesse viajando na segunda classe. Da mesma forma, antes do início da viagem, os passageiros de segunda classe poderiam visitar as acomodações da primeira classe antes da partida do navio. Assim Lawrence Beesley, um passageiro de segunda classe, foi fotografado em uma bicicleta no Ginásio do Titanic, um local reservado apenas para a primeira classe. Ponte de Comando Acima - A Ponte de Comando do RMS Olympic, ilustra com muita proximidade a mesma área do seu navio-irmão, considerando que curiosamente não existem fotografias conhecidas tiradas deste mesmo local no Titanic . Os dois objetos circulares instalados na parede, entre duas janelas, são os controles de acionamento dos apitos situados nas chaminés Nº 01 e 02; as únicas duas chaminés com apitos realmente funcionais. As nove janelas retangulares da Ponte de Comando ofereciam visão direta para o oceano. Ao redor do timão ("volante" do navio), contornando toda a circunferência do aro de bronze dourado, havia a seguinte inscrição gravada em baixo relevo :

BROWN'S PATENT TELEMOTOR - ROSEBANK IRONWORKS, EDINBURGH.

Direita: Um dos telégrafos de bronze que compunham a Ponte de Comando do Titanic, recuperado dos escombros do navio a quase 4 Km de profundidade. . Esquerda: Uma bitácula (bússola de pedestal) resgatada dos escombros do Titanic, com parte da madeira de sua base incrivelmente preservada. . A Ponte de Comando, no alto da superestrutura do navio, era o centro de comando da navegação do Titanic. "Ponte de Comando " , em sua descrição original, se refere a uma estrutura similar a uma passarela que atravessa a largura de um navio, permitindo que os comandantes tenham vista para a frente e para os lados da embarcação quando atracado ou em movimento. Por volta do ano 1900, as empresas começaram a instalar janelas de vidro nas pontes de comando dos novos navios, o que protegia os oficiais do mal tempo e do vento frio. .  A fotografia mais acima foi tirada a bordo do RMS Olympic, o navio-irmão do Titanic, e exibe a variedade de instrumentos na Ponte de Comando. Os telégrafos retransmitiam ordens de velocidade para a casa das máquinas e para a plataforma de atracagem localizada no extremo final do navio. Na foto se vê o timão (volante do navio), os controladores de acionamento dos apitos, e uma das bússolas. .  O Titanic tinha quatro bússolas, cada uma delas situada numa redoma de latão dourado acima de um pedestal de madeira chamado bitácula. O timão localizado nesta posição no navio era usado para a navegação em tempo bom e também ao entrar e sair do porto. O suporte do timão foi recuperado durante a expedição realizada pela RMS Titanic INC no ano de 2000. .  Ao lado: O Capitão Edward John Smith fotografado à bombordo do Titanic, em frente a entrada para a ponte de comando. Pela vidraça vê-se o topo de um dos telégrafos que integravam as comunicações a bordo do navio. A foto foi tirada em Southampton no dia 09 de abril de 1912, um dia antes da partida, apenas seis dias antes do naufrágio do Titanic e a morte do Capitão Smith. . 
Ao lado: A casa do leme reconstruída para os cenários do filme "Titanic" (1997). Dentro da casa do leme o timoneiro poderia pilotar o navio sem estar exposto ao clima frio, tal como na ponte de comando situada diretamente à frente. A reprodução cenográfica é bastante próxima ao real visual da Casa do Leme do Titanic, porém contém vários erros; a mesma regra é válida para todos os demais cenários do filme. . 
Durante um tempo mais frio, o timoneiro se mudaria para a casa do leme, pequena e aquecida, que continha um timão adicional, uma bússola e um painel de telefones que ligava a ponte às estações importantes ao redor do navio. Uma dessas estações era o cesto da gávea, onde Frederick Fleet, sem a ajuda de binóculos, avistou o iceberg as 11:40 da noite em 14 de abril de 1912. Após tocar o sino três vezes, anexado ao cesto da gávea, telefonou para a ponte e exclamou: "Iceberg logo à frente!" .  O Primeiro Oficial Willian Mc Master Murdock prontamente ordenou ao timoneiro Robert Hichens para virar o timão em uma tentativa desesperada de evitar a colisão com o iceberg. Nos próximos 37 segundos, a proa do Titanic virou 22 graus para bombordo (esquerda) e afastou-se do iceberg o suficiente para evitar uma colisão frontal no gelo, mas não o suficiente para impedir as perfurações fatais em sua lateral. .  O Titanic possuía dois megafones de latão (ambos foram recuperados a partir do local do naufrágio) ​​ para gritar ordens de ancoragem da Ponte para a proa do navio. No entanto, na noite do acidente, os oficiais usaram para coordenar o lançamento dos botes salva vidas. .  Ao lado - Cena excluída do filme Titanic (1997) que reproduz o uso de um dos megafones do navio pelo Capitão Edward John Smith (Bernard Hill) ao chamar de volta para o navio o bote salva vidas Nº 06. Convés de Botes
Acima - O Convés de Passeio da 2ª classe, ao lado da 4ª chaminé do Titanic, em uma fotografia tomada enquanto o navio esteve ancorado na cidade de Queenstown, Irlanda, em 11 de abril de 1912, sua segunda e última escala na Europa. Dezenas de espreguiçadeiras são vistas recostadas na plataforma elevada do teto da Sala de Fumantes. Estas cadeiras dobráveis eram locadas pelos passageiros através do balcão do Comissário de Bordo, no Convés C, e não poderiam ser levadas e trazidas para qualquer lugar no Convés, tinham marcação de local fixo onde deviam ser obrigatoriamente colocadas. Na esquerda da imagem se pode notar os botes salva-vidas Nºs 10, 12 e 14. As três pessoas caminhando sob pesadas roupas são as cunhadas Elsie Doling (18), Ada Julia Doling (34) e Edwin Frederic Wheeler (24), todos os três eram passageiros da 2ª classe. Edwin era criado particular do milionário norte-americano George Washington Vanderbilt, que cancelou sua passagem no Titanic, mas o enviou com passageiro da 2ª classe. Edwin pereceu na tragédia e seu corpo, se recuperado, jamais foi identificado. Elsie e Ada sobreviveram à tragédia. Acima, esquerda: Uma visão dos bastidores de "Titanic" (1997) que exibe precisamente o mesmo local visto na fotografia histórica acima. .
Ao lado - Uma cadeira autêntica do Titanic, que foi resgatada pelo navio CS Minia durante o processo de recuperação dos corpos no local da tragédia nos dias posteriores ao naufrágio. A cadeira foi então presenteada ao Reverendo Henry W. Cunningham, em reconhecimento ao seu trabalho no funeral e sepultamento das vítimas. A peça foi doada pelo neto de Henry ao Museu Marítimo do Atlântico, em Nova Escócia, onde estão enterradas a maioria das vítimas do naufrágio. A espreguiçadeira é feita de mogno, com uma estrela esculpida sobre o apoio da cabeça, uma marca registrada da empresa White Star Line, proprietária do navio; o assento de palha não é original, foi refeito. Hoje esta é uma das únicas cadeiras intactas do Titanic.  . O Titanic tinha a reputação de ser espaçoso, o que é evidenciado pela plataforma superior do navio com seu vasto passeio com piso revestido de pinheiro. Navios mais antigos eram cheios de equipamentos de ventilação, clarabóias, cabos de aço e botes salva vidas, mas os projetistas do Titanic mantiveram todos esses recursos em requisitos mínimos em virtude de liberação de espaços. .  Lâmpadas elétricas iluminavam o convés superior. Tetos elevados sobre o Convés de Botes formavam terraços em que os passageiros podiam passear ou jogar. Se o exercício não estivesse nos planos, bancos foram estrategicamente colocados para descanso e contemplação do mar. .  No vídeo abaixo: Um teste de som com um real conjunto de apitos resgatado dos escombros do Titanic. O som emitido possivelmente não é o mesmo que teria sido em 1912, devido ao fato que o artefato permaneceu por mais de 74 anos no fundo do oceano e o teste foi executado com um nível de pressão inferior ao que realmente era utilizado no início do século, quando o Titanic fez sua 1ª e única viagem.
Esquerda - Uma foto real da chaminé frontal do Titanic. Na madrugada da tragédia os 12 cabos de aço que sustentavam esta chaminé não resistiram à inclinação do navio, arrebentaram-se e a chaminé caiu sobre muitas pessoas que se debatiam na água causando a morte de várias delas. .
Ao lado e abaixo - Momento trágico recriado 85 anos depois da tragédia, em 1997 o diretor canadense James Cameron põe a seu favor a moderna tecnologia do cinema e utiliza-se de grandiosos efeitos especiais nas cenas do filme Titanic. 

O momento da queda da enorme chaminé fora recriado através da mistura de filmagem em cenário do Convés de Botes com tamanho natural dentro de uma piscina, uma miniatura física da chaminé e um céu com horizonte gerado por computador. Curiosidade - A cena ao lado foi conseguida com duas técnicas diferentes: Na sequência inicial, uma chaminé em miniatura foi gravada em estúdio fechado separado, com uma estrutura metálica interna coberta por uma "pele de aço" feita com papelão, pintado com as cores da chaminé. Na sequência final, para simular a queda em dimensão mais próxima à realidade, fora utilizado um tanque de caminhão em formato cilíndrico com as cores da chaminé que, por sua vez, foi suspendido com cabos de aço sobre a piscina lotada com dublês e então derrubado, causando uma grande onda.
.
 .
Abaixo - Os apitos do Titanic tal como reproduzidos nos cenários do filme Titanic (1997), possivelmente um som muito próximo ao que realmente o Titanic emitiu em 1912 quando prestes à partir em sua primeira e única jornada em direção à América. ( direit a ) Um conjunto de apitos reais resgatado dos escombros do navio.

Altamente visíveis nas áreas de passeio aberto estavam as quatro imponentes chaminés, três das quais eram totalmente funcionais, com uma chaminé extra adicionada para completar a simetria de design. Anexado a cada uma das chaminés havia um conjunto de apitos. Os apitos instalados nas duas chaminés da frente eram funcionais e eram operados eletricamente a partir da ponte de comando. Os apitos das duas últimas chaminés não eram funcionais, sua presença visava completar a simetria entre as quatro chaminés.

Estas imensas estruturas com altura máxima de 19 m e largura máxima de 7,30 m, tinham como função central a eliminação dos gases (fumaça) da queima do carvão nas caldeiras do navio, mas também carregavam as cores tradicionais presentes nos navios da Companhia White Star Line, uma espécie indefinida de marrom-alaranjado com topo pintado de preto. Era nelas também onde os potentes apitos ( acima ) foram instalados com escadas de acesso e onde haviam várias tubulações e canos de eliminação de vapor excedente. . Ao lado: Entre as quatro chaminés, a 4ª delas (ultima, à ré) fugia às funções primárias, visto que não estava conectada às saídas das fornalhas de carvão e atuava apenas na eliminação dos gases da sala de máquinas, fumaça da lareira da Sala de Fumantes e fumaça das cozinhas; servindo também como duto de ventilação para várias partes do navio. Hoje conhecida hoje como "falsa chaminé" ou "chaminé decorativa", termos incorretos, visto que esta chaminé era tão funcional quanto as outras, apenas servia à funções diferentes das 3 primeiras. Seu grande e principal diferencial era de que ela não expelia uma grande quantidade da conhecida fumaça negra assim como as outras; no entanto em determinados momentos, quando a cozinha ou a lareira da 1ª classe estivesse em funcionamento, a 4ª chaminé expelia uma quantidade moderada de fumaça. Acima: Ao contrário do que fora mostrado no filme "Titanic" de 1997 (na cena acima), as chaminés do Titanic na realidade não possuíam nenhuma iluminação noturna especial. A única luminosidade que recebiam era indireta, vinda das fracas lâmpadas que iluminavam o convés, portanto as quatro se apresentavam bastante obscuras durante a noite, difíceis até mesmo de serem vistas à distância. Curiosidade: A cena acima foi gravada com um modelo do Titanic (maquete) em escala 1:20, com 13,45 metros de comprimento. A maquete demorou 5 meses para ser concluída, incorporando extremo nível de detalhes técnicos. A cena fora gravada em estúdio fechado com uma câmera de movimento controlado por computador. Na pós-produção a tomada recebeu os toques da realidade com a adição da fumaça, céu, estrelas e mar gerados através de complicados métodos de computação gráfica e animação. Este grande modelo permanece até hoje como uma das maiores e mais completas maquetes do Titanic já construídas. . Abaixo: A reconstituição gráfica ilustra de modo muito próximo como possivelmente seria a aparência do Titanic durante a noite, uma luminosidade muito inferior à que fora mostrada no filme Titanic, especialmente em relação às 04 chaminés. Direita: Uma das chaminés do Olympic recebendo retoques na pintura nas docas da White Star Line, em Southampton, Inglaterra . A tubulação à esquerda e à direita permitia a eliminação de vapor excedente. À direita também se pode ver o conjunto de apitos com sua própria tubulação de vapor.

 

Ao lado: No detalhe da fotografia ao lado vê-se em 2º plano o mastro traseiro do Olympic e a chaminé Nº 04, com seu conjunto de apitos instalado na porção frontal. As quatro chaminés possuíam apitos instalados em seus topos, no entanto apenas os apitos instalados nas chaminés Nº 01 e Nº 02 eram funcionais, ou seja, apenas eles estavam conectados às saídas de vapor responsáveis pela emissão de som. Através da enorme abertura oval de 7,30 m de diâmetro máximo, seria virtualmente possível a passagem com folga de uma locomotiva por dentro das chaminés. . 
A área de passeio da primeira classe ficava no meio do navio no convés superior, enquanto que o passeio de segunda classe, ficava à ré, no final do convés de botes. Em 1912, as leis que regiam a capacidade de bote salva vidas estavam absurdamente antiquadas. Através de uma peculiaridade na regulamentação, o número de botes salva vidas dependia dos metros cúbicos do navio. Este regulamento exigia que Titanic tivesse capacidade para evacuar apenas 950 passageiros. Embora o Titanic estivesse equipado com mais botes do que a lei exigia, com seus 20 botes salva vidas ainda não se poderia evacuar todos os passageiros em caso de emergência. .  Após a colisão com o iceberg às 11:40 h da noite de 14 de abril, foram perdidos minutos importantes no exame, avaliação e início do processo de evacuação. Finalmente, às 00:45, o bote salva vidas de estibordo nº 7 foi colocado para fora suspenso em um turco para iniciar a aterrorizante descida de sete andares para o mar. Neste bote estavam apenas 28 pessoas, muito longe dos 65 que tinha sido projetado para transportar. Nestes momentos, era difícil convencer os passageiros de que uma pequena embarcação em mar aberto seria mais segura do que o quente, bem iluminado convés do Titanic. Sala do Telégrafo / Marconi Room Acima: A única fotografia conhecida da Sala de Telégrafo do Titanic, de costas, operando o aparelho de telégrafo, está o operador Harold Bride. Harold sobreviveu à tragédia com os pés feridos pelo congelamento, mas perdeu seu companheiro de trabalho, Jack Philips.  . 
A sala de telégrafo era localizada no Convés de Botes, perto da ponte de comando do navio, nela trabalhavam dois operadores de telégrafo empregados da Companhia Marconi. Seus trabalhos principais eram de receber e enviar mensagens por ondas de rádio usando o código Morse.
. Ao lado: Uma reconstituição gráfica da Sala de Telégrafo do Titanic. Esta é uma recriação virtual com extrema atenção histórica e aos detalhes.  . 
Os operadores da sala de telégrafo eram contratados exclusivos, não eram considerados parte da tripulação normal. Os uniformes usados por eles eram diferentes dos uniformes dos demais tripulantes, possuíam emblemas próprios nos botões, mangas e no quepe. Os operadores não eram diretamente subordinados à qualquer um dos tripulantes do navio, tendo apenas determinadas obrigações para com os comandantes do barco. A maior parte do tempo destes empregados era gasto dentro da sala, com a exceção das refeições, que eram feitas em um salão de jantar reservado no convés C. .  Abaixo: Uma das cenas excluídas do filme Titanic (1997), onde os operadores Jack Philips e Harold Bride são mostrados em pleno trabalho na Sala de Telégrafo do Titanic. Ao lado: Uma reconstituição cenográfica da Sala de Telégrafo do Titanic. As mensagens escritas pelos passageiros e depositadas no Convés C (3 andares abaixo) chegavam a esta sala através dos tubos pneumáticos afixados na parede ao fundo. Foi de uma sala como esta que os pedidos desesperados de socorro do Titanic foram expedidos pelos dois operadores, Jack Philips e Harold Bride . . 
Na década de 1910 a telegrafia sem fio era ainda uma novidade e estava em seu estado de infância, era considerada uma maravilha tecnológica. Telégrafos em navios eram incorporações recentes na nova era. Muitos navios ainda não tinham aparatos de telégrafo e muitos capitães de navios ainda não haviam adquirido confiança nestes aparatos, outros viam estas comunicações como uma mera frivolidade direcionada apenas aos passageiros.
Acompanhe no vídeo abaixo uma reconstituição gráfica da Sala de Telégrafo

O Ginásio / Academia de Ginástica Acima: Uma imagem original do Ginásio, fotografado por Robert John Welch em março de 1912 na cidade de Belfast, onde o navio foi construído, cerca de um mês antes da viagem inaugural. No painel envidraçado ao fundo havia um MAPA MUNDI com a inscrição " Tracks of White Star Line Steamers " (Trajetória dos navios da White Star Line). O painel mais à frente mostrava um corte longitudinal do Titanic e cinco cortes transversais que exibiam as várias acomodações a bordo. Abaixo do desenho a seguinte frase: " RMS Olympic and RMS Titanic, The Largest Steamers in the World " ( RMS Olympic e RMS Titanic, os Maiores Navios do Mundo) . 
O Titanic oferecia aos passageiros da primeira classe um ginásio totalmente equipado, localizado no lado estibordo do convés de botes. Havia uma máquina de remo, duas bicicletas estacionarias, saco de pancadas, o Titanic tinha um conjunto completo de equipamentos de exercício sob a supervisão do instrutor de academia Thomas W. McCawley .
Acima: Nesta cena excluída do filme "Titanic" (1997) a personagem Rose (Kate Winslet) visita o Ginásio do Titanic acompanhada do engenheiro Thomas Andrews (Victor Garber). O cenário foi reproduzido de modo bastante fiel à realidade, incluindo também os painéis com o mapa-mundi e o desenho dos cortes que exibem os interiores do Titanic.  

Acima, direita: Sentado na máquina de simulação de remo o instrutor do Ginásio, Thomas W. McCawley . O instrutor chegou a comentar com um passageiro que não usaria um colete salva vidas porque este o atrapalharia quando tivesse que nadar; acabou morrendo na tragédia. O sujeito sentado em um aparelho ao fundo é William Henry Marsh Parr, gerente-assistente do departamento elétrico da Construtora Harland and Wolff (a empresa que construiu o Titanic). Ele embarcou no navio a serviço da Harland and Wolff como membro do "Guarantee Group" (Grupo de Garantia), que tradicionalmente acompanhava os navios em viagens inaugurais com o intuito de observar e corrigir eventuais problemas técnicos que porventura surgissem. William Parr pereceu na tragédia e seu corpo, se recuperado, jamais foi identificado.  

*** O termo "Grupo de Garantia" definia o grupo formado por nove trabalhadores selecionados para participar das viagens inaugurais de navios construídos pela Harland and Wolff, a fim de registrar o desempenho e todos os problemas que pudessem surgir. Os membros do Grupo de Garantia eram sempre aqueles considerados os melhores em suas respectivas áreas naquela época. Este grupo de elite nunca era o mesmo e poderia mudar a cada viagem inaugural. A possibilidade de fazer parte do grupo era sempre uma grande motivação para os trabalhadores da Harland e Wolff de trabalhar duro e provar suas habilidades para a empresa. Os membros do Grupo de Garantia do Titanic incluíam: Thomas Andrews (o projetista do navio), William Henry Campbell, Roderick Chisholm Robert Crispin, Alfred Fleming Cunningham, Anthony Wood Frost, Robert Knight, Francis Parkes, William Henry Marsh Parr , e Ennis Hastings Watson. Todos eles morreram no naufrágio.

Ao lado - Cinco das sete janelas do Ginásio de Exercícios da 1ª classe a bordo do Titanic. As janelas eram de padrão idêntico às instaladas na Grande Escadaria que situava-se ao lado, mas neste caso eram de vidro texturizado para dificultar a visão e preservar a privacidade de quem estivesse dentro do Ginásio fazendo exercício.  

O sujeito na imagem é Percival Wayland White (54), um fabricante de algodão norte-americano, que embarcou no Titanic na manhã de 10 de abril de 1912 acompanhado de seu filho, Richard, hospedando-se como passageiro da 1ª classe e ocupando a cabine "D 26"; pai e filho pereceram na tragédia. 

À direita de Percival White está o bote salva-vidas Nº 07, onde a famosa atriz Dorothy Gibson embarcou junto de sua mãe e foi salva na madrugada de 15 de abril, apenas 04 dias após esta foto (ela era passageira da 1ª classe, na foto ao lado) . Vinte e nove dias após o naufrágio Dorothy Gibson estreava o 1º filme sobre a tragédia "Saved from the Titanic" (Salva do Titanic), no qual ela interpretou a si própria.
O piso era composto de um mosaico de linóleo branco com pequenos losangos pretos nas extremidades. Sete janelas arqueadas deixavam entrar muita luz natural, o que era um benefício adicional para o ginásio, visto que ele era localizado no convés superior.Dois cavalos mecânicos (um de sela lateral para senhoras) tinham um movimento motorizado que simulava o hipismo. Propagandas para o Ginásio do RMS Olympic mostram passageiros montadas nesses “cavalos” de exercício vestidos em plenos trajes de equitação. Havia também um "camelo" elétrico, seu movimento ondulante era voltado para o fortalecimento das costas e da tonificação dos músculos abdominais.
As horas de operação no Ginásio eram bem específicas, a fim de dar aos passageiros a oportunidade de usufruir dos exercícios de modo privativo com membros de seu próprio sexo ou da mesma faixa etária:
.  Homens - das 06:00 às 09:00 Mulheres - das 10:00 às 13:00 Crianças – das 13:00 às 15:00 Homens - das 16:00 às 18:00 

Foi nesta sala que o Coronel John Jacob Astor esperou com sua jovem esposa grávida Madaleine o lançamento do bote que a levaria em segurança. Impedidos de entrar juntos, ele entregou-lhe as luvas como proteção contra o frio e se afastou para encontrar seu destino, ele morreu no naufrágio.
. .
Ao lado: Um cavalo mecânico do Ginásio do Olympic em pleno uso.
Acima: O Ginásio do Olympic em uma fotografia voltada para a proa (frente do navio), o destaque mostra a porta de entrada para a Grande Escadaria na proa, que permitia aos passageiros transitar entre os ambientes sem a necessidade de expôr-se ao tempo no Convés de Botes. Tal como no Titanic aqui também havia o painel publicitário com as rotas da White Star Line, no entanto a imagem longitudinal que se vê no último painel não era um desenho com um corte do navio (como no Titanic), mas sim uma bela fotografia do Olympic em alto mar. Nesta foto se pode ver também o pequeno saco de pancadas suspenso no teto, à esquerda da porta ao fundo.

Acompanhe no vídeo abaixo uma reconstituição gráfica aproximada do Ginásio do Titanic

A Grande Escadaria dianteira .
Abaixo: A icônica Grande Escadaria dianteira da 1ª classe do RMS Olympic [navio-irmão do Titanic] numa foto de seu mais conhecido e admirado patamar, no Convés A. Iniciando sua cobertura no mais alto convés habitável do Titanic, o Convés de Botes, a bela escadaria percorria 07 patamares do navio, sendo 06 deles de luxo. A composição grandiosa seguia à risca a regra dos grandiosos interiores da 1ª classe, mas fora projetada especialmente para interconectar as acomodações como via principal de acesso para todos os conveses dos mais privilegiados passageiros a bordo. 
Ao lado: A Grande Escadaria dianteira do RMS Olympic. Não se conhece qualquer foto das escadas do Titanic, mas os registros históricos confirmam que entre os dois navios (Olympic e Titanic) estes ambientes eram idênticos. . 
Abaixo: um vídeo espetacular que "flutua" pelos interiores da Grande Escadaria de cima à baixo. A apresentação está entre as mais espetaculares recriações em computação gráfica, pois incorpora vários aspectos históricos e reais deste ambiente, porém ainda assim, não é perfeita, o que não diminui a beleza e o entendimento dimensional. .
  .
O Titanic tinha duas escadarias na primeira classe(assim como o Olympic), uma localizada entre a primeira e segunda chaminé e a outra localizada à ré, entre a terceira e a quarta chaminé. A escadaria dianteira, ou Grande Escadaria, era a mais elaborada das duas, ligando seis conveses e encimada por uma cúpula de ferro e vidro. A decoração de ambas as escadas era uma curiosa combinação de estilos. Os painéis de madeira seguiam o estilo criado pelos mestres-artesãos ingleses do casal de monarcas William and Mary. Também foram instalados corrimãos de madeira e ferro com guirlandas de bronze dourado, as quais eram inspiradas pelas decorações da corte francesa de Luís XIV. .  Em moda naqueles tempos, um querubim de bronze erguia uma lâmpada que iluminava o patamar principal da escadaria no convés A (proa) e um no convés C (escadaria traseira). Muitos anos antes, luminárias como estas eram colocadas aos pés das escadas dos escuros palácios e mansões como aparato de iluminação que contribuía com segurança, mas no Titanic os querubins eram apenas ornamentais, visto que as escadarias já eram plenamente iluminadas pelos lustres e pelo domo de vidro.
Ao lado: Uma reprodução animada do querubim da Grande Escadaria, esta é uma réplica construída para um museu nos Estados Unidos. O querubim do Titanic centralizava-se na base dos degraus da escadaria, no Convés A. A peça se tratava de uma escultura de bronze com cerca de 1,35 m de altura (da base ao topo da chama) com f eições de uma criança com asas; a figura apresentava cabelos ondulados e fora representado seminu, onde apenas um pequeno manto recaia de cima de suas asas e cobria seu ventre, terminando envolvido em suas costas como se estivesse solto ao vento.
Acompanhe abaixo mais uma reconstituição gráfica da Grande Escadaria, aqui vista em seu mais alto patamar, no Convés de Botes. 

 Curiosidade

http://fat.gfycat.com/VagueSkeletalChrysomelid.gif Ao lado: O ator Eric Braeden, que interpretou o passageiro da 1ª classe John Jacob Astor no filme Titanic (1997), relatou que atuar nesta cena, onde o domo da Grande Escadaria é implodido por uma imensa massa de água, foi uma das experiências mais assustadoras pelas quais já passou, visto que não houve qualquer possibilidade de ensaio prévio antes da tomada.  

Abaixo: A Grande Escadaria reconstruída para os cenários do filme Titanic. A reprodução fiel foi possível graças às fotografias e às peças sobreviventes da escadaria do RMS Olympic, o navio-irmão RMS Olympic, o navio-irmão do Titanic, das quais foram feitas cópias em gesso http://68.media.tumblr.com/cfe4aac260ca11523b54dd04f2494584/tumblr_neg1s6d8fv1rvt7jco7_250.gif do Titanic, das quais foram feitas cópias em gesso artisticamente pintadas para se assemelharem à madeira de carvalho-nobre esculpido. A excelência do trabalho de cenografia pode ser vista em cada detalhe fielmente reproduzido e, à excessão dos dois lances centrais que foram "alargados" em cerca de 50 cm em cada lado, praticamente todo o restante segue quase à perfeição a obra original. 

O cenário foi construído sobre uma plataforma de elevação sobre um tanque com 19 milhões de litros de água salgada para que fosse fisicamente afundado frente às câmeras. Durante a tomada onde foram literalmente "despejados" 342 mil litros de água que estouram o domo de vidro, a secção de degraus repentinamente soltou-se de suas bases e imergiu violentamente sob os pés dos dublês, mas sem causar ferimentos aos presentes. Todo o cenário foi muito danificado durante as repetidas tomadas, no entanto muitas peças da escadaria puderam ser salvas e hoje encontram-se sob posse de colecionadores, museus, sociedades históricas e esporadicamente surgem à venda em leilões virtuais.



A Grande Escadaria nas palavras da White Star Line

Acima: Ilustração e texto extraídos diretamente de um panfleto publicitário de época publicado pela Companhia White Star Line, antecipando a beleza e benefícios dos interiores do Olympic e do Titanic.
A Escadaria
"Nós deixamos o convés e passamos através das portas que nos levam ao interior do barco e, como por mágica, perdemos o sentimento de que estamos a bordo de um navio, a sensação é de que estamos entrando no saguão de uma grande casa em terra. Dignos e simples painéis de carvalho cobrem as paredes, enriquecidos em alguns lugares por trabalhos de entalhe, reminescentes dos dias quando Grinling Gibbon colaborava com seu grande contemporâneo, Wren. 

No meio do saguão se ergue uma graciosa escadaria curva, sua balaustrada sustentada por leves volutas de ferro com ocasionais toques de bronze, na forma de flores e folhagens. Acima de tudo um grande domo de ferro e vidro verte uma inundação de luminosidade pelas escadas abaixo. No lance abaixo há um grande painel esculpido que contribui com seu toque de riqueza na sobriedade da composição das paredes de painéis simples. O painel contém um relógio, e em cada um dos lados há uma figura feminina, uma composição simbolizando a Honra e a Glória Coroando o Tempo.

Olhando por sobre a balaustrada, nós vemos as escadarias preciptando-se para os muitos pisos inferiores. Voltando-nos para o lado poderemos ser poupados do trabalho de descer os degraus ao entrar em um dos elevadores com seu suave deslizar que nos levará rapidamente a qualquer outros dos inúmeros pisos do navio que queiramos visitar. A escadaria é um dos principais atributos do navio, e será muito admirada como sendo, sem dúvida, a mais fina obra deste tipo no mar. "
O relógio da Grande Escadaria do Olympic, o navio irmão do Titanic . 

Ao lado: O grande relógio de madeira esculpida que integrava a Grande Escadaria dianteira do Olympic, o navio irmão do Titanic; hoje preservado sob os cuidados do 'SeaCity Museum', na cidade de Southampton (Inglaterra), o museu é localizado próximo às docas de onde o Titanic partiu em 10 de abril de 1912.

***Legenda original da foto: "Uma mulher olha para uma fotografia original da Grande Escadaria do Olympic em Southampton, Inglaterra, terça-feira, 03 de abril de 2012. O novo museu será aberto no dia 10 de abril de 2012, cem anos após o malfadado Titanic ter partido do porto da cidade".  
  .
O belo relógio foi vendido na década de 1930, por ocasião do leilão de uma infinidade de peças decorativas do Olympic, que foram dispostas para venda após a demolição do navio; a peça esteve por décadas sob propriedade privada antes de ser doada ao antigo 'Maritme Museum of Southampton'. Originalmente o relógio não possuía qualquer tipo de tinta aplicada sobre a madeira de tom natural, mas foi primeiramente pintado quando o Olympic passou por uma reformulação da decoração de seus interiores no final de sua carreira (o relógio foi também repintado enquanto esteve sob propriedade privada). Em 1996, por ocasião da realização de pesquisas históricas sobre o visual do Titanic para a construção dos cenários do filme "Titanic", do diretor James Cameron, esta peça foi criteriosamente estudada, medida e fotografada, e deste modo permitiu a perfeição absoluta na recriação de uma réplica idêntica para os cenários do famoso filme Titanic. .  
Acima: A icônica Grande Escadaria dianteira da 1ª classe do Titanic aqui vista em seu mais conhecido patamar, o Convés A (ambas as fotos voltadas para estibordo). Ainda hoje o sumiço da escadaria está entre os pontos físicos mais intrigantes do naufrágio, e não se sabe que fator causou o desaparecimento quase completo dos vestígios dos lances de degraus da escadaria; especialistas e historiadores ao redor do mundo cogitam que os lances teriam sido brutalmente arrancados de suas bases durante o naufrágio devido à f qdxtzijn. canada goose naisten takkiorça da água, tendo sido destroçados, flutuando livres em meio aos destroços. Hoje o que resta do aspecto interior mais icônico do Titanic é tão somente este grande "fosso" aberto do Convés de Botes até o Convés D, circundado por dezenas de colunas de aço e intensa formação de detritos ferruginosos formados pela decomposição do aço estrutural do Titanic. Ainda que não se saiba qual é a solução do mistério, a madeira da escadaria eventualmente poderia ter apenas se decomposto com o passar das décadas, seguindo a regra de quase toda a madeira nos interiores do navio, que se decompôs quase na totalidade ao passar dos anos. Pesquisas e gravações obtidas em 2001 para o documentário "Ghosts of the Abyss" demonstraram que nos interiores dos escombros do Titanic há ainda incontáveis casos onde a madeira segue relativamente bem preservada; em sua maioria são peças que receberam aplicação de tinta, que acidentalmente atuou como uma espécie de "repelente químico" dos microorganismos decompositores. A escadaria do Titanic era revestida em madeira de carvalho apenas polida e encerada, o que aparentemente não afastou os microorganismos decompositores, os quais ainda hoje seguem devorando com voracidade o ínfimo de madeiramento que ainda resta da rica decoração interior do Titanic. Apesar da quase completa descaracterização visual da escadaria devido à decomposição, notavelmente dezenas de lustres de bronze e cristal ainda pendem do teto, sustentados pela própria fiação em meio às estalactites de aço decomposto. [Crédito fotográfico: Ghosts of the Abyss (2001), recriação gráfica por Clément d’Esparbès, animação por Rodrigo, Titanic em Foco)

Chamadas de ganso

カナダのガチョウのジャケット
goose
canada goose damer
Giacche di canada in vendita

Relembre a última convocação de Ganso pela Seleção Brasileira

Crédito da foto: Getty Images

Com a convocação de Paulo Henrique Ganso para a Copa América no lugar do Kaká, encerra-se um jejum de pouco mais de quatro anos que o camisa 10 do São Paulo não era chamado para a Seleção Brasileira.

LEIA MAIS:
CONVOCAÇÃO DE GANSO RENDE ELOGIOS E PIADAS NA WEB; VEJA
MISSÃO CUMPRIDA, GANSO! BAUZA EM SUA CHEGADA DESAFIOU O CAMISA 10 A VOLTAR PARA A SELEÇÃO
GANSO PODE DESFALCAR SÃO PAULO POR ATÉ SEIS JOGOS DO BRASILEIRÃO

Poucos minutos antes de entrar em campo contra o Figueirense, o meia Paulo Henrique Ganso recebeu a notícia de sua convocação para a Seleção Brasileira, que disputará a Copa América Centenária nos Estados Unidos. O corte do jogador do Orlando City, Kaká, causou a chamada que não acontecia desde 28 de fevereiro de 2012. Na ocasião, o treinador do Brasil ainda era Mano Menezes.

O jogo para o qual Ganso havia sido convocado foi na Suíça, contra os donos da casa. Ainda assim, o então meia santista não iniciou a partida como titular. Sua entrada aconteceu no segundo tempo, quando substituiu Ronaldinho Gaúcho. O encontro terminou com o placar de 2×1 para a seleção da CBF e Ganso não marcou gols.

Com Dunga no comando da ‘amarelinha’, o hoje atleta são-paulino viveu a expectativa de ser chamado para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, após estar presenta na ‘lista de espera’ divulgada pelo treinador na época. Ainda nesse ano, Ganso teve sua primeira partida pelo Brasil em amistoso contra os Estados Unidos, que também serviu como jogo de estreia para o parceiro santista, Neymar.



Wemerson Ribeiro



sexta-feira, 20 de junho de 2014

O "Ganso" de GS?


















Um dos responsáveis pela vinda do meio campista - ainda desconhecido - João Gabriel ao Botafogo, o empresário Carlos Roberto, falou um pouco sobre o novo reforço alvinegro:

"– Fui vê-lo jogar pela Francana (SP), em 2013, me disseram que ele tinha o estilo do Ganso. Mas como ele se movimenta bastante, brinquei: É um Ganso com fome, pois corre muito, e o Ganso é mais parado, armando".

Meu comentário: Se tiver 25% da qualidade técnica do Paulo Henrique já será um ótimo reforço. E se ele tiver todo esse dinamismo dito pelo empresário, melhor ainda.

Que assim seja!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

37 comentários:

Sergio Di Sabbato disse...

Quem sabe se não é um achado. Se for isso tudo, o problema vai ser mantê-lo no clube. Abs e SB!

Rodrigo Federman disse...

Tomara mesmo, Sergio.
Abs e SA!!!

Luis Eduardo Carmo disse...

É, Rodrigo. O botafoguense é antes de tudo um forte. Torcendo muito pra ser esse achado que o Sergio e todos nós esperamos que seja.

No entanto, esta temporada garantiu uma coisa inusitada. Temos um centroavante melhor que os dois da seleção brasileira. Só o Botafogo, mesmo.

Saudações botafoguenses!

Rodrigo Federman disse...

Biriba, ser botafoguense é ser diferente mesmo! Cada dia uma emoção nova! rs
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Sorte ao João. Espero que ele tenha pelo menos umas 3 boas oportunidades de entrar em campo, pra sabermos do q realmente o rapaz é capaz de fazer.

Contrataram mais um centroavante??

Daniel Victor

Rodrigo Federman disse...

Daniel, e que nos surpreenda mesmo.
Abs e SA!!!

SPECTRE1961 disse...

שָׁלוֹם



Federman,



Até você vai -> Ficar di Bobby ? <-

Siga o link:
http://www.matonense.esp.br/images/layout.png



Esse -> PEREBA <- 23 anos (Made In Paraguay)




É motivo de brigas, piadas e gozações ... No interior de São Paulo.



Existem relatos em fóruns sobre esse "produto" oriundo de -> Dotô em $acanagem <-


Aparentemente, foi "fabricado" um profile para esse embuste !




Federman,


Fala $ério ... Yuri Mamute ?



hahahahahahaahahahahahahaha !



João "catador de coquinhos" ?


hahahaahahahahahahahaahhaaha !



Federman,


A$$umpção & $ua Corja ... Estão rindo muito !



Relatos autênticos doa Agentes Fantasmas ... Testificam isso !




Federman,



Ele$ vão entregar esse clube para o próximo -> LARANJEIRO <- Na condição: "$alve-$e quem puder !"


Devendo até a gasolina da Kombi clonada !



#Botafogo-Sinônimo-de-Vergonha!




Anônimo disse...

Loco Abreu, ao vivo no programa bate bola da espn: " Fico puto pra cacete com esses jornalistas que falam coisas sem saber". Referindo-se aos que criticam as emoções dos jogadores antes das partidas. Vale ressaltar que não houve essa situaçao na seleção Uruguaia.

Opinião autêntica, imparcial, puramente subjetiva, de quem já passou pela emoção de jogar uma Copa do Mundo, e está 'andando' publicamente para a opinião dos faladores da imprensa.

Ídolo!!!

Rodrigo Federman disse...

Preocupante, Spectre! rs

Muito ídolo, Anônimo.

Abs e SA!!!

Marcio disse...

Torcerei para que seja "O Cara" e que o ambiente seja propício para que desenvolva o futebol que seu empresário afirma ter.
Só não podem é jogar toda a responsabilidade para ele, pois tem mais gente para segurar essa situação.
E nossa "diretoria" está trabalhando nesse intervalo da Copa?
E os salários?
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Na torcida também, Márcio.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

O comentario que fiz sobre o joao esta mais embasado na paixao na desesperadora necessidade do surgimento de um idolo do que no seu futebel. O nome é diferente, sugestivo, quem sabe nascera um craque. Ha uma máxima de que ha coisas que so acontecem no botafogo. Chega das ruins.
Abraco a todos os botafoguenses.
Esperanca... paixao que nunca morrera em nossos corações.
Boa tarde....
Hugo Correia
Porto Velho RO

Rodrigo Federman disse...

Hugo, na paixão, esperamos que surjam novos e muitos Garrinchas! rs
Abs e SA!!!

Paulo Fernando disse...

O Corinthians acaba de "roubar" o terceiro jogador da base alvinegra só este ano! E ainda vendemos o Lodeiro pra eles?!? Caguei pro Lodeiro, só não acho que devemos negociar com clube traíra, mas em se tratando dessa diretoria tudo é possível!!! Acho até que aproveitaram os contatos comerciais e deram a dica ($$$) pros gambás!!!

Sergio Di Sabbato disse...

Rodrigo, infelizmente igual ao Garrincha ou pelo menos parecido, nunca mais. Nessa eu tô com o Canhota: pode aparecer outro Maradona, Pelé, Di Stéfano, Puskas, etc e etc, mas igual ao Mané, nunca mais. Quem viu viu, quem não viu que lamba os beiços e veja algumas amostras em vídeos antigos. Eu vi, mas era muito novo e só me lembro de alguns flashes. Uma pena. Abs e SB!

Rodrigo Federman disse...

Paulo, cedemos a nossa base e trazemos os gêmeos. Gestão moderna! rs

Sergio, com certeza! Mané foi um exemplo que eu poderia ter evitado! rs

Abs e SA!!!

Paulo Fernando disse...

Parece que está chegando...

http://www.vavel.com/br/futebol/atletico-mg/360995-neto-berola-e-cortado-da-viagem-para-a-china-e-pede-desligamento-do-atletico-mg.html

Igor sausmikat disse...

Até onde sei, um cara desse vindo da Francana que tá aos cacos e com o futebol acabando praticamente........eu tenho lá minhas dúvidas, viu!!!
Abraço

Rodrigo Federman disse...

Paulo, continuo não animando! rs

Igor, só aguardando as primeiras oportunidades dele mesmo.

Abs e SA!!!

Jacaré disse...

Escutei uma "historinha" dessa há uns tempos atrás, quando contrataram um tal perna-de-pau chamado Souza, que diziam ser o novo Rivaldo!!! KKKKKKKKKK!!!!

Papinho de empresário!

Diretoria (?), paguem os salários primeiro, depois falem "merda", seus demagogos!!!

Rodrigo Federman disse...

Jacaré, e lembra de quando veio o tal Lucas Silva? Também um novo Rivaldo da vida! rs
Abs e SA!!!

Renan SP disse...

Esquema de empresário... Os caras cobram pra encaixar jogador em clube grande
..isso é fato... Quem do Botafogo vai observar um cara de 23 anos da Matonense ( a3).... Se ele tivesse 17 eu acreditaria.... Esse mundo Futebolístico é muito sujo....mais um que vai morder um simples salárinho de 10 ou 15 mil reais.....assim como o Colombiano, Jean coral, o Genro do Húngaro...lennon e outros..
Espero profundamente queimar a língua....
Tô loko pra esse ano acabar, temo a segundona ano que vem...
Um abraço

Rodrigo Federman disse...

Renan, a minha impressão inicial também é essa, mas só poderemos ter certeza (ou queimar a língua) se o cara for escalado, né? Que assim seja!
Abs e SA!!!

Gabriel Marques disse...

Se ele jogar 1/5 do que o Paulo Henrique Lima jogar, já vai estar de bom tamanho, mas não sei, fico com um pé atrás com essa contratação, por se tratar de um atleta que saiu da terceira divisão do campeonato paulista. Digo isso pois nos últimos anos tivemos o costume de contratar os ''destaques dos estaduais'', como foi visto com o Bruno Tiago, Thiago Galhardo, Hyuri, Elias, Tonny, Romulo, atacante do Friburguense que veio para cá e nem uma partida fez, alguns deles até conseguiram ser uteis, mas nenhum deles jamais foi um primor técnico. Agora, vendo esse menino vindo da terceira divisão do paulista, fico ainda mais pessimista. Mas fazer o que, é o que temos, é torcer para que o empresário esteja certo e que ele possa nos ajudar.

Rodrigo Federman disse...

Gabriel, compartilho da mesma preocupação por causa dos mesmos motivos. E temos certa razão em pensar assim. É aceitável.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Francamente, 4uarta divisão do campeonato paulista... e outra, será que olheiros de Corinthians, Santos, SPFC e Palmeiras, fora os outros Ituano, Ponte, etc etc SERÁ QUE NINGUÉM VIU ESSE RAPAZ QUE ESTAVA DEBAIXO DO NARIZ DELES?

Rodrigo Federman disse...

Anônimo, são os meus questionamentos também. É torcer para que o Botafogo finalmente tenha sucesso nessas apostas.
Abs e SA!!!

Jacaré disse...

Anônimo, na verdade "eles" viram esse João sim! Quem não "viu" foi a diretoria do Fogão, que o contratou!

O pior cego é aquele que não quer ver!

Newton disse...

Perde-se três promessas da base, que todos em GS sabem o potencial, e em troca, trazemos o João (23 anos), da Matonense, uma incógnita, com potencial duvidoso.

Qual a lógica futebolística disso?

Resposta: Nenhuma, só há interesses financeiros, pessoas que ganham na vitrine chamada Botafogo.

É vergonhoso. Querem nos iludir, como se fôssemos idiotas. Sinceramente, esse modo de gerenciar é arcaico. O Botafogo é vítima dos empresários, e nós torcedores somos reféns dos diretores.

Ficaremos mais uns vinte anos para evoluir.



Rodrigo Federman disse...

Hahaha. Faz sentido também, Jacaré.

Newton, o blog do Paulinho fala (hoje) sobre os bastidores dessas três saídas da base.

Abs e SA!!!

Newton disse...

Rodrigo, li a matéria no blog do Paulinho.

Realmente é uma vergonha completa. O pior, o Botafogo fica com 30%, como um cala-boca para que o Sheik tenha sucesso nessa nova carreira.

Impressionante. Como torcedor, quero ver esse sheik longe de GS. Sujeito repugnante.

Estamos fud.... com toda essa corja!

Newton disse...

Rodrigo,

Agora a ficha caiu. Naquela discussão entre o zagueiro Lúcio, do palmeiras, e o sheik, houve a acusação de contrabando, fato relatado no blog do Paulinho.

Se for verdade, aliciador de menores e ganhos financeiros no clube que ele está defendendo.

Bacana isso.

Rodrigo Federman disse...

Newton, dentro de campo o Sheik queimou a minha língua. Tem honrado a camisa. Fora do campo, sempre teve e continuará tendo um caráter duvidoso.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Tem um vídeo do cara rolando na Internet, sei que vídeos têm seus "problemas", mas o rapaz parece ter muitos bons fundamentos.
canhoto, sabe servir bem os atacantes, bate faltas, conclui bem e, realmente, se movimenta bem, tal qual o Lodeiro, não cai tanto.
É torcer para que seja isso mesmo. Não se sabe o fora de campo, né? Que não seja um Jobson.
Reinaldo

Rodrigo Federman disse...

Reinaldo, em vídeos o Lucas Silva era genial também. Não gosto dessas análises.
Abs e SA!!!

jorgeFS disse...

Será mas um para a "VITRINE"??
O GLORIOSO, hoje com essa Adm. não passa de um tosco OUT-DOR,será que tem algum torcedor aina crer nesses FDP?.

Rodrigo Federman disse...

Jorge, tomara que esse seja bom.
Abs e SA!!!

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial